“Arquiteto do rock”, Little Richard morre aos 87 anos

Uma das pedras fundamentais do rock, o cantor, pianista e compositor Little Richard – autor de clássicos duradouros, como “Tutti Frutti”, “Good Golly Miss Molly”, “Long Tall Sally” e “Lucille” – , morreu neste sábado, 9/5, em Tullahoma, no Tennessee, aos 87 anos, de complicações de um câncer ósseo.

Com seu visual extravagante (cabelão, bigodinho fino, maquiagem e lamê) e seu estilo vigoroso (batucando no piano seus riffs, como mais tarde copiaria Elton John, e emitindo os gritos que Paul McCartney imitaria para convencer John Lennon a dar-lhe uma vaga em sua banda), Richard explodiu para a fama no final da década de 1950, compartilhando com Elvis Presley e Jerry Lee Lewis a popularidade do recém-nascido rock’n’roll, misturando gospel com blues e rhythm and blues para criar sucessos altamente dançáveis e cheios de duplos sentidos sacanas.

Protagonista de uma carreira rica em contradições – de sexualidade flúida, chegou a abandonar a música por um tempo para ser pastor -, Richard proclamou-se, já mais velho, “o arquiteto do rock’n’roll”, no que, em grande parte, estava certo, pois ajudou a pavimentar o caminho e a escrever a cartilha estilística de rock, soul e funk utilizada por muitos (como Otis Redding, James Brown, Prince, Mick Jagger e até Jimi Hendrix, que tocou no grupo dele), e teve seu repertório regravado por diferentes artistas, de Beatles a Bruce Springsteen e Elvis Costello.

A revista Rolling Stone listou as 20 músicas essenciais de Little Richard para quem quiser conhecê-lo melhor.

As reações à morte de Little Richard: