As imagens de ‘Exile on Main St.’ em mostras na Califórnia e na Provence

Os 50 anos de Exile On Main St. – álbum icônico dos Rolling Stones, gravado durante o período de residência de todos os integrantes da banda no sul da França, em 1971, e finalizado em Los Angeles – estão sendo celebrados também por seu aspecto fotográfico, com duas exposições espetaculares em cartaz nos Estados Unidos e na Europa.

No Rock Photography Museum de Glendale, na Califórnia, estão sendo exibidas até julho imagens inéditas das sessões fotográficas que o craque Norman Seef – hoje com 83 anos – clicou para o encarte do álbum e para uso na divulgação da banda. O material mostra o que ficou de fora da série de cartões postais que acompanharam Exile, originalmente impressos em preto e branco. Só que aqui as imagens são em cores e enfatizam ou revelam particularidades interessantes, como a utilização de um dublê para Bill Wyman, que não compareceu à sessão fotográfica (e o curioso é que o dublê aparece claramente nos postais editados com o álbum original), e a sequência de imagens que reproduzem o momento em que uma figurante decidiu dar um beijo em Mick Jagger – e os dois acabaram tropeçando e caindo no chão, às gargalhadas. 

O dublê anônimo faz de conta que ninguém notou que ele não é Bill Wyman, enquanto Mick Taylor finge que não é com ele
Os Stones, em 1971, dão as boas vindas na vitrine do Rock Photography Museum, em Glendale, na Califórnia

Enquanto isso, acontece em Saint-Rémy-de-Provence e em Aix-en-Provence, de julho a outubro, a mostra do francês Dominique Tarle, hoje com 72 anos, que simplesmente se instalou na casa de Keith Richards, em Villefranche-Sur-Mer, enquanto os Stones gravaram Exile, e registrou, ao longo de seis meses, imagens históricas que ninguém mais foi capaz de clicar – não apenas dos músicos trabalhando, mas também sua intimidade e a de seus amigos, familiares, coadjuvantes e acólitos. 

Keith Richards e Anita Pallemberg no grande salão de Villa Nelcôte, sua residência temporária no Sul da França