Comercial de carro estrelado por Springsteen prega a conciliação

De todos os comerciais exibidos durante o Super Bowl ontem, um se destacou para nós. Por dois motivos: por ser um comercial de carro estrelado e narrado por Bruce Springsteen. E porque marcou a primeira vez em toda sua carreira que o artista associa sua imagem a um produto, seja ele qual for.

É um comercial que mal mostra o produto que está vendendo (a logo da marca Jeep e o veículo, propriamente ditos), que aposta na mensagem e, sobretudo, no mensageiro.

Mas para que ele acontecesse foram precisos 10 anos de namoro entre o fabricante e o artista, até que se chegasse a um consenso de que Bruce concordaria em se associar não necessariamente ao que se venderia, mas ao que se diria.

Todo ano, ao longo da última década, o diretor de marketing da Jeep, Olivier François, propunha a Bruce e ao empresário e consigliere do artista, Jon Landau, uma ideia para um comercial, e ela era sempre polidamente recusada. Até que surgiu a proposta de um comercial que pregava a conciliação e a união do país no momento em que os Estados Unidos estão profundamente divididos após a eleição presidencial. E Jon e Bruce toparam.

Filmado por Thom Zinny com trilha-sonora criada e produzida em parceria com Ron Aniello (ambos colaboradores de longa data de Springsteen), o comercial – chamado de “The Middle”– conclama o povo americano a relevar as diferenças e discordâncias e se encontrar “no meio”, aqui representado por uma capela localizada no centro geográfico do país.

O que o comercial propõe é que, assim, se crie os Estados ReUnidos da América,

Veja aqui o comercial: