Criados para nos enganar?

Pessoas de mentira, criadas a partir de Inteligência Artificial, estão à venda e à disposição de qualquer um que desembolse três dólares por unidade.

Podem ser usadas em filmes, sites ou jogos eletrônicos, para impressionar possíveis matches no Tinder, para inflamar as fake news nas redes sociais, para ludibriar serviços de espionagem e inteligência, para aprisionar incautos em golpes virtuais.

E a manipulação dos parâmetros que alteram as características de uma dessas criaturas digitais torna-se cada vez mais fácil e acessível, como relatam Kashmir Hill e Jeremy White em reportagem publicada pelo The New York Times

Um fascinante – e apavorante – mundo novo, onde, cada vez mais, nem tudo é o que parece. Onde cria-se uma realidade artificial justamente para nos enganar – por bem ou por mal.