Erica: nasce a primeira estrela de Inteligência Artificial do cinema

Enquanto a indústria de entretenimento do mundo inteiro se adapta a novos protocolos para poder retomar a produção de filmes, séries e programas de TV, pelo menos uma atriz não precisa se preocupar com o COVID-19: Erica, a estrela do longa b.

Afinal, Erica não existe em versão carne-e-osso: ela é um ser de Inteligência Artificial criado por cientistas japoneses e treinada para representar. 

Essa atriz virtual encabeça o elenco de b, produção orçada em 70 milhões de dólares sobre um cientista que, ao descobrir os graves riscos do  programa para criar DNA humano perfeito que ele mesmo desenvolveu, resolve libertar Erica, figura feminina de Inteligência Artificial, também produzida por ele. 

O filme está sendo financiado pelos mesmo investidores do fantástico filme de animação Loving Vincent, criado como se fosse uma pintura a óleo do personagem que dá título ao filme, o pintor Vincent Van Gogh.

Na vida real, Erica é o resultado do estudo em robótica de dois cientistas japoneses, Hiroshi Ishiguro e Kohei Ogawa. Os dois precisaram ensinar sua criatura a representar, a simular emoções, assim como precisaram afinar seus movimentos e sua linguagem corporal para fazê-la parecer o mais humana possível. 

Algumas cenas de b já foram filmadas no Japão, em 2019, e espera-se que o filme seja concluído na Europa em junho de 2021.

A dica é do The Hollywood Reporter.