PLAYLIST 2 – A seleção comentada da semana: 6/3/20

Lucinda Williams – “You Can’t Rule Me” – Blues elétrico pesado, cortesia da cantora-compositora de Americana (aquele apanhado de folk, country, rock e blues), dona de uma voz toda sua, peculiar.  Esta faixa é de seu novo álbum, Good Souls Better Angels, que sai em abril, produzido por ela e pelo marido, Tom Overby, e com engenharia de som quentésima de Ray Kennedy.

Ted Hawkins – “There Stands The Glass” – Um negro alto, de barba e cabelos brancos, de Biloxi, no Mississippi, com passagens na penitenciária, Ted foi “descoberto” tocando no calçadão de Venice, na Califórnia, e, ao longo de três álbuns, lançados com grande espaço entre cada, transformou-se numa sensação com seu vozeirão (misto de Sam Cooke com Otis Redding), seu violão e seu jeito potente de transformar cada canção numa história íntima e emocionante.  Esta é de seu segundo álbum, The Next Hundred Years, de 1994, muito bem recebido pela crítica. Hawkins morreu no ano seguinte.

Dixie Chicks – “Gaslighter” – O trio feminino de pop country Dixie Chicks perdeu patrocínios, foi barrado das rádios e recebeu ameaças de morte depois que uma delas, Natalie Maines, criticou o presidente George Bush às vésperas da Guerra do Iraque, e disse ter vergonha dele ser do Texas.  Mas manteve a atitude desafiadora, lançando “Not Ready to Make Nice”, uma espécie de tréplica, que ganhou o Grammy de Canção e Disco do Ano em 2007. “Gaslighter” é sua primeira gravação em 16 anos e o trio retorna cintilante, com vigor, atacando todos os mentirosos e manipuladores.  

King Crimson – “Cat Food” – Esta versão ao vivo, gravada em Toronto em 2019, vem num single comemorativo dos 50 anos do lançamento da faixa, que foi o primeiro single do KC, e acabou sendo incluído mais tarde no álbum In The Wake of Poseidon.  

Lukas Nelson and Promise of the Real – “Couldn’t Break Your Heart” – Filho da lenda do country (e cabeção inveterado) Willie Nelsion,    colaborador de Neil Young e produtor da trilha de Nasce uma Estrela, Lukas  retoma em  seu novo álbum, Naked Garden , seu country-rock raiz pesado.

Nadia Reid – “Heart to Ride” – Se Adele tivesse optado por uma sonoridade mais indie, poderia se parecer com a neo-zelandesa Nadia Reid em seu terceiro álbum, Out of My Province, feito com a dose certa de melancolia e sombra.

Michael Kiwanuka – “Light” – Filho de Ugandenses e baseado em Londres, Michael recebeu um empurrão de responsa quando “Cold  Little Heart” virou música-tema de Big Little Lies, seriado da HBO.  “Light” é de seu álbum mais recente, do ano passado, um soul progressivo, meditativo.

The National – “Never Tear Us Apart”- O quinteto americano The National   gravou essa versão do sucesso do INXS para um álbum em benefício das vítimas dos incêndios florestais na Austrália, do qual também participam Julia Stone, Joan as Policewoman e outros, regravando clássicos do repertório pop-rock australiano.

Donna Grantis – “VIOLETTA”  – Ex-integrante da banda 3RDEYEGIRL, produzida por Prince, e do New Power Generation,  que acompanhava Sua Majestade Púrpura, a guitarrista canadense Donna Grantis reúne em seu primeiro álbum, de 2019, toda sua força funk-rock-jazz, como exemplificada por essa parceria com Mike McReady, guitarrista do Pearl Jam.

The Staple Singers – “I Like The Little Things About You” – O caixote Come Go With Me: The Stax Collection compila todos os seis álbuns lançados na gravadora Stax, entre 1968 e 1974, pela família musical de Memphis que deu ao mundo alguns dos mais marcantes e memoráveis sons de gospel e rhythm & blues: The Stape Singers. Liderado por Pops Staples e tendo como destaque a voz de Mavis Maples, ainda ativa, com 82 anos, o quarteto ganhou enorme fama por canções pop, como “I’ll Take You There” e “Respect Yourself”, mas sempre manteve profunda suas raízes na música religiosa e no soul.