PLAYLIST 115 – A seleção comentada da semana

Mickey Hart, Zakir Hussain, Planet Drum – “King Clave”– Em 1991, Mickey, baterista do Grateful Dead, formou com o percussionista indiano Hussain o Planet Drum, projeto dedicado a mergulhar naquilo que começava a ser chamado de world music, mas focando na percussão – e que numa primeira encarnação incluiu Airto Moreira e Flora Purim. O PD ganhou prêmios Grammy e agora, após uma pausa de 15 anos, retoma os trabalhos, de forma espetacular, majestosa.  

Dexys Midnight Runners – “Come On Eileen”– O vocalista e bandleader Kevin Rowland avisa logo de saída que esta é a forma como o maior sucesso de seu (sempre estilosíssimo) grupo – lançado originalmente no álbum Too-Rye-Aye, de 1982 – “deveria ser ouvido”: remixado e apresentado como seu criador almejava, numa reedição comemorativa de 40 anos. 

Anna Tivel– “The Dial“ – A cantora e compositora vem do Oregon e faz um folk rock arrojado, com tonalidades experimentais, auxiliada pelo mesmo engenheiro de som (Brian Joseph) de Sufjan Stevens e Bon Iver. Seu novo álbum, Outsiders, foi quase todo gravado ao vivo. 

Sam Prekop, John McEntire – “A Ghost At Noon” – Veteranos do rock indie de Chicago, Sam e John trocam a sonoridade solar e quase jazzística de seu projeto anterior, The Sea and Cake, por um caminho mais rigoroso, guiado por sequenciadores e abstrações eletrônicas. 

Panda Bear, Sonic Boom – “Edge of the Edge”– Numa vibe nostálgica de Beach Boys, circa Pet Sounds, a parceria entre Noah Lennox e Peter Kember abre os trabalhos com um sample de um sucesso de doo-wop de 1963.

SmallTown Strings – “Haunted Heart”– Brandi é a Carlile que o mundo mais conhece. Ela é dona de uma das vozes mais doces e delicadas do country e da Americana e tornou-se a a fada madrinha que ajudou a trazer Joni Mitchell de volta ao mundo. Mas existe a Caroline Carlile, também, cantora e multi-instrumentista – prima de Brandi. Aos 15 anos, ela lançou o primeiro álbum de seu grupo, com o qual faz folk, Americana e bluegrass – integrado por um primo de 12 anos, e pelo próprio pai. 

Ronald Isley, Isley Brothers, Beyoncé – “Make Me Say It Again, Girl”– Um encontro de gerações – a voz icônica da influente banda de soul e R&B  com a da divina rainha Bey – na regravação de uma música originalmente lançada pelos Isleys em 1975. 

Djavan, MIlton Nascimento – “Beleza Destruída”– No segundo grande encontro da semana, dois gigantes entrelaçam suas vozes pela primeira vez num canto ambientalista, faixa do novo álbum de Djavan, o recém-lançado D

The Supremes – “Stop! In The Name of Love” – Perdemos essa semana Lamont Dozier, que compôs e produziu com a dupla de irmãos Holland – Brian e Eddie – uma penca de hits que ajudaram a construir a era de ouro da Motown, na década de 1960. São dessa trinca clássicos como  “How Sweet It Is (To Be Loved by You)” (gravada por Marvin Gaye), “Baby, I Need Your Loving”, dos Four Tops, e os maiores sucessos das Supremes. 

Olivia Newton-John – “If Not For You” – Antes de ter sido catapultada ao megaestrelato pop por sua participação em Grease-Nos Tempos da Brilhantina, Olivia – que também perdemos essa semana – vinha construindo uma carreira musical calcada no country, e seu primeiro disco, de 1971, trazia como faixa-título uma versão de uma parceria (então super recente) de George Harrison e Bob Dylan.