PLAYLIST 117 – A seleção comentada da semana

Joe Strummer, The Mescaleros – “Fantastic”– Para marcar os 70 anos de nascimento de Joe Strummer, parte da alma do The Clash, morto em 2002, sai mês que vem a compilação Joe Strummer: The Mescalero Years, com faixas inéditas ou raras, como esta gravação, feita no dezembro do último ano de vida de Joe. 

PJ Harvey, Tim Phillips – “Who By Fire”– A trilha da nova série de TV da Apple TV +, Mal de Família, traz esta versão de uma canção de Leonard Cohen, feita por nossa eterna musa Polly Jean com a ajuda do compositor Tim Phillips (que já havia assinado a trilha de outra série dos mesmos produtores, Shining Vale). 

Todd Rundgren, Adrian Belew – “Puzzle“ –  Um dos principais guitarristas da ala mais inventiva do rock – integrante do King Crimson na década de 1980 e colaborador de David Bowie, Talking Heads e Frank Zappa no palco e no estúdio – Belew integra o time de convidados do novo álbum de um mestre do pop dos anos 1960 e 1970, Space Force, que sai em outubro.

Russo Passapusso – “Mirê Mirê” – Diferentes gerações de baianidades se encontram quando o vocalista do BaianaSystem une forças com Antonio Carlos e Jocafi, dupla icônica da MPB-pop da década de 1970, num misto de ponto de candomblé e samba, com participação especial de Gilberto Gil e do grande percussionista Djalma Moreira.  

Montaigne, David Byrne – “gravity” – E por falar em Talking Heads, David Byrne participa da nova da cantora-compositora australiana Jessica Cerro, parte do álbum Making It!, o terceiro da artista de art-pop, que sai mês que vem.

Jake Blount – “Didn’t It Rain”– Criatura singular, Jake é pesquisador da etnologia da música e artista musical. Ele toca e ensina banjo num grupo de bluegrass e palestra em Yale. Seu novo álbum, o denso The New Faith, é um achado especial: as faixas representam o único alento de um grupo de refugiado negros, depois que os ecosistemas do mundo foram destruídos por guerras. São canções originais e versões de clássicos do cancioneiro negro americano, como esta faixa gospel, originalmente gravada por Sister Rosetta Tharpe e Mahalia Jackson, mas apresentada aqui de forma mais crua e contundente. 

Tommy McLain – “I Ran Down Every Dream”–  Quarenta anos separam o último lançamento de Tommy, “a lenda do pop pantanoso” dos anos 1960 –  apelido adquirido por conta de sua mistura de R&B e country no estilo de Nova Orleans –, do recém-lançado I Ran Down Every Dream. A voz curtida pelas décadas difere do timbre de sua juventude, mas, auxiliado por artistas como Elvis Costello e Nick Lowe, Tommy triunfa com emoção genuína, rock de raiz autêntico e arranjos delicados, que criam um clima quase de sonho. 

Beth Orton – “Friday Night”– Produzindo a si mesma pela primeira vez em 30 anos de carreira, a inglesa Beth cercou-se de craques como o saxofonista Alabaster dePlume e o baterista Tom Skinner (The Smile e Sons of Kemet) para realizar talvez seu álbum mais arrojado, povoado por paisagens sonoras tão complexas quanto emocionantes, como exemplificado pelos sintetizadores e mellotrons desta faixa. 

Nick Hakim – “Happen” – Indie folk sussurrado, romântico e em ritmo lento, vindo do Brooklyn, parte de um novo álbum, Cometa, que fala do doce e do fel do amor. 

Silvana Estrada – “Brindo” – Serve como bálsamo e antídoto ao baixo astral reinante a canção-acalanto da cantora-compositora mexicana, parte de seu novo EP, Abrazo.  Uma prece de esperança por dias melhores e um agradecimento pelo que de bom a vida traz.