PLAYLIST 118 – A seleção comentada da semana

The National – “Weird Goodbyes”– Esta colaboração com Justin Vernon (mais conhecido como Bon Iver), enfeitada pelo arranjo de cordas criado por Bryce Dessner e executado pela London Contemporary Orchestra, resulta em algo que lembra o U2, safra 2014, e pode ser incluída no nono álbum do The National, que sai somente ano que vem. 

Beirut – “Two Blue Eyes”– “Me apaixonei por você ou pela Califórnia?”, pergunta Zach Condon nesta canção do novo álbum da banda do Novo México, Music for Californians, onde reforça sua mistura de indie folk com world music. 

Gemma Rogers – “Stop” – A londrina mira na virulência e na violência das redes sociais – habitadas por “piranhas digitais” que se alimentam de quem “desnuda a alma no nirvana do Instagram” – a partir de uma vibe ska neo-New Wave, eletronificado pelo remix do trio galês Helen Love. 

Kaitlyn Aurelia Smith – “Locate” – A música da compositora e instrumentista americana não é para todos. Com voz e sintetizadores, ela cria composições caleidoscópicas que parecem colagens sonoras nascidas da junção de diferentes raciocínios musicais, acumulando repetidas guinadas inesperadas. 

Making Movies – “XOPA– O quarteto é de Kansas City, mas sua música bilíngue combina elementos norte e sul-americanos, de rumba e zydeco a rock pesado. 

Bitchin Bajas – “Amorpha”– Quase 10 minutos de arrojadas explorações instrumentais do trio de música experimental de Chicago, misturando psicodelismo, jazz e música eletrônica, tudo conduzido pelo batuque de um xilofone hipnotizante, numa amostra do recém-lançado álbum Bajascillator

Three Sacred Souls – “Easier Said Than Done”– Vem de San Diego este trio, que cria uma espécie de cápsula do tempo, onde convivem sonoridades vintage de diferentes épocas, do doo-wop ao R&B e ao soul dos anos 1960. 

Gross– “A Dança das Almas”– Tempo Louco, terceiro disco solo de Marcelo Gross, ex-vocalista e co-fundador do grupo gaúcho Cachorro Grande, saiu ano passado, mas agora ganha edição em vinil de 140 gramas transparente, com detalhes em preto esfumaçado, capa dupla e encarte, à venda na loja do site Stones Planet Records. A ênfase é em pop rock contemporâneo. 

Abel Selaocoe – “Bach: Cello Suite Nº 3 in C Major, BWV 1009: IV. Sarabande” – De origem sul-africana, o cellista Abel usa a voz para fazer contraponto a seu instrumento e o efeito é único, por vezes agindo como percussão, outras complementando a melodia. 

Dr. John – “End Of The Line” – Mac Rebennack – ou Dr. John, The Night Tripper – escolheu para integrar o que viria a ser seu álbum póstumo uma versão – gravada em dueto com o divino  Aaron Neville – da música que apresentou ao mundo, em 1988, os Traveling Wilburys, supergrupo formado por George Harrison, Bob Dylan, Tom Petty, Roy Orbison e Jeff Lynne. Aqui, o que era country rock no original ganha um tratamento tipicamente Nova Orleans.