PLAYLIST 119 – A seleção comentada da semana

Björk – “Atopos” – A primeira amostra do novo álbum, Fossora, que sai no final do mês, é inspirada em Barthes, embalada por um naipe de clarinetes baixos e ancorada numa forte batida eletrônica para falar de união e harmonia. 

Margo Price – “Been To The Mountain”– A cantora-compositora de Nashville, conhecida por sua sonoridade alt-country, aproxima-se mais do rock, puro e simples, em seu novo single. 

Valerie June – “Pink Moon” – Das oito músicas que a cantora do Tennessee escolheu para seu álbum de versões – Under Cover –, a deste clássico de Nick Drake é o destaque. 

Isadora Melo – “Não Ando Bem” – Recifense que vem transitando há anos também pela televisão e pelo teatro, Isadora produziu, ela mesma, seu segundo álbum, onde estreia também como compositora, cercada por um trio afiado, montado com Rafael Marques (guitarra), Lucas dos Prazeres (percussão) e Henrique Albino (flauta e sax).

Bien et Toi – “Rainbow Tables”– Com vocais dobrados e intimistas de Biig Piig, o produtor nova-iorquino Gianluca Buccellati, colaborador de gente como Arlo Parks e Lana Del Rey, lança seu primeiro disco como artista solo, criando um pop sofisticado, encharcado de soul. 

Luke Sital-Singh – “ All Night Stand”– Britânico transplantado para a Califórnia, Luke faz em seu quarto álbum, Dressing Like A Stranger, um folk sussurrado para refletir a dificuldade de adaptação a um novo país, a uma nova vida. 

Weils – “To Apeiron”– “Uma banda de blues fora da média, que faz um blues meio invertido … sem as notas do blues”.  É assim que se define o projeto sueco formado pela dupla Jonas Teglund e Isak Sundström, que na verdade, demonstra mais afinidade com Kraftwerk e Pink Floyd do que com Son House ou Muddy Waters. Esta faixa de 23 minutos viajandona é um dos cinco “atos” do álbum Fugue State

Buzzcocks – “Senses Out Of Control”– O segundo single dos ícones do punk britânico – e inspiração por aqui de bandas como o Camisa de Vênus – sem a participação do fundador, frontman e vocalista Pete Shelley, morto em 2018, traz agora o guitarrista Steve Diggle à frente da banda, com vigor intacto, e abre o primeiro álbum do grupo em oito anos.  

Run Logan Run – “Silver Afternoon”– Vem de Bristol, na Inglaterra, a dupla formada pelo baterista Matt Brown e o saxofonista Andrew Neil Hayes, aqui cercada por um noneto e a vocalista Annie Gardiner para uma viagem sonora arrojada, de contornos épicos, com quase 10 minutos de duração. 

Marvin Gaye– “Mercy Mercy Me (The Ecology)” – Baseado em Nashville, o produtor e remixer Super Duper (nome artístico de Josh Hawkins) já havia dado novos ares a músicas de Billie Eilish e Bob Marley. Seu resgate deste clássico sublime de Marvin Gaye sublinha a trágica piora no meio ambiente, castigado cada vez mais pela mudança climática desde o lançamento desse apelo aos cuidados com o planeta, em 1971.