PLAYLIST 18 – A seleção comentada da semana

The World of Dust – “The Life of Gods” – Indie folk experimental e muito louco, vindo da Holanda, pilotado por Stefan Breuer. 

4YX – “The Guns of Brixton” – Um cover de um clássico do The Clash com declamação em chinês. Precisa dizer mais alguma coisa? Precisa: segundo o produtor e cérebro do projeto, Dub Mentor, todos os sons aqui contidos foram tocados e gravados, e não manufaturados. Falou.

A Girl Called Eddy – “Jody” – Lembrando muito as produções de Liminha e de Mazzola para a Warner no Brasil dos anos 1970 e 1980, com um notável quê de Steely Dan, a veterana Erin Moran (a tal A Girl Called Eddy) brilha em seu primeiro disco em 16 anos com uma faixa agridoce extremamente dançável.

Ray LaMontagne – “Roll Me, Mama, Roll Me” – Feito todo em casa pelo próprio artista – que se encarregou, inclusive, da engenharia de som – , o oitavo álbum de Ray é de seus melhores, realçando sua voz única, sempre misturando mel e melancolia, num blues acústico suave e envolvente

Bananagun – “The Master” – Opa! Voltamos à Tropicália? Pelo menos, essa é a vibe desta faixa do primeiro álbum do quinteto australiano de nome engraçado, que soa como Mutantes de primeira hora ou como a banda que acompanhava Gal Costa no Teatro Tereza Rachel quando foi gravado o álbum Gal a Todo Vapor. Mais sixties brasileiro, impossível. 

Jónsi – “Swill” – Canção do segundo álbum solo do frontman da banda islandesa Sigur Rós, Shiver, devidamente excêntrica e singular, desde o título: “Lavagem”, em inglês. 

David Bowie – “Teenage Wildlife”- E tome mais biscoitos finos brotando dos arquivos de Bowie. Dessa vez, o registro de um show de 1995, Ouvrez Le Chien, gravado em Dallas, com uma banda afiadíssima e David com sangue nos olhos.

Jakob Dylan & Norah Jones – “Never My Love” – O documentário Echo in the Canyon, do ano passado, visita com carinho a região de Los Angeles que nos anos 1960 tinha mais astros de folk-rock por metro quadrado: Laurel Canyon, suaves colinas margeando uma avenida que liga a Sunset Strip ao Vale de São Fernando, lá do outro lado do morro. Aliás, o folk-rock teria sido inventado ali, pelos Byrds. Junto com o documentário, foi realizado um show e um disco com artistas de hoje em dia interpretando clássicos da época, como essa pérola pop do The Association, de 1967. 

Prince – “Witness 4 The Prosecution (Version 1)” – Vem aí a versão super deluxe de Sign o’the Times, o já bem longo álbum lançado por Prince em 1987. Além das 16 faixas encontradas no original, o novo caixote trará íntegras de shows e 60 gravações adicionais e inéditas, como esta.  

Fantastic Negrito + Tarriona ‘Tank’ Ball – Ï’m So Happy I Cried” – Xavier Dphrepaulezz, ou Fantastic Negrito, é de Oakland, na Califórnia, e foi “descoberto” num concurso promovido pela National Public Radio dos Estados Unidos. Ele faz uma ponte eletrizante entre o blues mais básico e o hip hop do século 21. Sua parceira nesta faixa é de Nova Orleans e venceu o mesmo concurso, anos antes.