PLAYLIST 19 – A seleção comentada da semana

The Texas Gentlemen – “Ain’t Nothing New” – Apesar do nome, esse quinteto de Dallas está mais para rock britânico do início da década de 1970, chegando bem perto do Badfinger, a banda produzida por Paul McCartney. Uma delícia pop que serve como um excelente cartão de visita e uma amostra do segundo álbum do grupo.

Samantha Crain – “Holding to the Edge of the Night” – Que vozeirão incomum, único, e que densidade de emoção saem das faixas de A Small Death, o novo álbum dessa cantora ainda jovem, mas veterana, nascida na tribo Choctaw, no estado de Oklahoma. O disco sai após Samantha ter-se recuperado de acidentes de carro (sim, mais de um) que quase a impediram de voltar a fazer música. 

Dalai Lama – “Compassion” – Sim, o Dalai Lama está lançando, no dia de seu aniversário de 85 anos, 6 de julho, um disco: o álbum Inner World, 11 faixas de mantras e ensinamentos e acompanhamento musical de músicos como Anoushka Shankar, na cítara. “Compassion”- também título de seu livro de ensinamentos – é uma das mais conhecidas preces budistas. 

Tom Petty – “You Don’t Know How It Feels”- A demo caseira, gravada em 1993, de um dos clássicos de Petty antecede o caixote super abrangente documentando a feitura do álbum WIldflowers, que a família do artista, morto em 2018, está preparando.

Seil Lien – “I Am Fire” – Banda escocesa, de Glasgow, cujo nome é a versão chinesa de Marie-Claire Lee, a compositora, vocalista e guitarrista de Sei Lien, e seu principal chamariz desse som indie e progressivo com um tantinho de P. J. Harvey.

Mood Taeg – “Deictics” – Vem da Alemanha e da China esse trio de krautrock atualizado, seguindo a linha de pioneiros (e influências) como Kraftwerk e Neu. 

Thiago Nassif  – “Plástico” – Paulista, Thiago sobrepõe linguagens e tonalidades, juntando experimentalismo e pop/MPB atraente,  como nesta faixa de seu novo álbum, Mente, compartilhada com Vinícius Cantuária, Negro Leo e Arto Lindsay.

The Buttertones – “Denial You Win Again”- A sonoridade e o sarcasmo ecoam a década de 1980 (“negação, você venceu novamente”), mas a banda, de Los Angeles, transporta tudo com para os dias de hoje, trocando seu som surf rock por uma personalidade mais jazzística. 

David Gilmour – “Yes, I Have Ghosts”-  Primeira música nova de Gilmour em cinco anos, acaba sendo um trabalho em família. A canção – voz, violão e algumas poucas cordas adicionais – faz parte do audiolivro da esposa de Gilmour, Holly Samson, A Theatre for Dreamers, e traz a filha do casal, Romany, nos vocais.

Elbow – “Great Expectations”- Durante nove semanas, enquanto cumpriam a quarentena, os integrantes do grupo inglês Elbow foram disponibilizando em seu canal no YouTube regravações de sua discografia, feitas com cada músico em sua casa. Agora, essas regravações viraram um EP, elbowrooms.