PLAYLIST 50 – A seleção comentada da semana

Return to Forever – “Romantic Warrior”– O jazz perdeu na semana passada um de seus músicos mais influentes, versáteis e prolíficos: o tecladista Chick Corea, cujo trabalho, solo ou em conjunto, combinou idiomas diferentes e derreteu fronteiras musicais. Chick circulava, com igual genialidade, pelo clássico, pelo fusion, pelo rock e pelo latin jazz. Aqui ele brilha no quarteto Return to Forever,  ao lado de Stanley Clarke, Al Di Meola e Lenny White, na faixa-título do álbum que a banda lançou em 1976.

R+R = NOW – “Resting Warrior” – Pulando para décadas mais tarde, chegamos a outro “guerreiro” e a outro grupo de jazz, também poderosíssimo, cujo nome (resultante das palavras Reflect e Respond) é inspirado no chamado de Nina Simone para que o artista refletisse seu tempo. O septeto grava para o icônico selo Blue Note (hoje presidido por Don Was, produtor de longa data dos Rolling Stones) e aparece aqui em seu primeiro álbum ao vivo, arrebentando tudo com metais, sintetizadores e muita percussão.

Ubiratan Marques e Orquestra Afrosinfônica – “Orixá” – Em seu segundo álbum, os 22 músicos da orquestra liderada por Ubiratan (dentre eles um coral feminino) mergulham na densa floresta da música brasileira, tecendo uma teia em que se misturam africanidades, MPB e Villa-Lobos. 

Rhiannon Giddens – “Calling Me Home” – A faixa-título de um novo álbum, gravado em apenas seis dias durante a longa quarentena que Rhiannon e seu parceiro, o multi-instrumentista italiano Francesco Turrisi, vêm cumprindo em Dublin, na Irlanda, fala da volta para casa no sentido literal tanto quanto no sentido metafórico. O resultado é uma mescla fascinante de música celta e negro spirituals.

Clap Your Hands and Say Yeah – “Thousand Oaks”– Sabe aquelas músicas que parecem começar pelo meio? Olha uma delas aqui, do novo álbum da banda de Alec Ounsworth, e uma das poucas canções de conteúdo político de seu repertório. Aqui ele fala sobre a impotência do governo americano para lidar com situações como um ataque a uma escola em Thousand Oaks, subúrbio de Los Angeles, onde morreram 13 pessoas. Talvez pela urgência, Alec não faz meandros e imprime urgência quando começa a música dizendo que “agora, ninguém vai conseguir consertá-la”. 

Awori – “Hold Me” –  A ugandense Awori trabalha aqui com o produtor francês Twani para criar uma sedutora mélange de hip hop e neo-soul na faixa de abertura de seu primeiro disco individual. 

Middle Kids – “Questions” – Indiie rock australiano maneiríssimo, de apurado senso de humor (não deixe de ver o clipe dessa música), liderado pela vocalista Hannah Joy, com certo parentesco com o sempre brilhante The New Pornographers, do Canadá.

Walter Egan – “I’m With the Girl”– Nos anos 1960 e 1970, Pamela Des Barres foi superestrela dentre as groupies, as tietes cuja adoração pelos músicos sempre transbordava dos palcos e dos camarins para as camas dos artistas. Suas aventuras como groupie – co-protagonizadas por astros como Jimmy Page, Mick Jagger, Robert Plant, Keith Moon e Jim Morrison – foram reunidas numa série de livros iniciada pelo deliciosamente picante I’m With The Band, editado em 1987. Agora, Egan, veterano egresso do soft rock californiano na mesma época em que reinava Pamela, utiliza Des Barres como musa inspiradora de seu novo álbum, tomando emprestado até o título. 

Pino Palladino – “Just Wrong” – Quem segue a carreira de Pete Townshend e The Who está devidamente familiarizado com Pino, baixista que trabalha com o líder do grupo inglês e com o propriamente dito há quase quatro décadas, além de uma variedade de artistas que inclui D’Angelo, Nine Inch Nails e Erykah Badu. Aqui ele une forças com o igualmente versátil e prolífico multi-instrumentista e produtor californiano Blake Mills para gravar seu primeiro álbum solo, o jazzístico Just Wrong.

Carm – “Land” – CJ Camerieri, ou Carm, é um dos fundadores do yMusic, grupo de música clássica contemporânea bastante interessante, mas também trafega tranquilamente no pop, tocando metais para gente como Sufjan Stevens e Paul Simon. Agora, lança seu primeiro álbum individual, contando com a colaboração de um parceiro de longa data, Justin Vernon, do Bon Iver. 

Ouça aqui a playlist.