‘Revolver’, dos Beatles, ganha reedição ampliada em outubro

Sai no final de outubro a reedição especial de Revolver – o álbum de 1966 que marcou o início de um período fértil de experimentação e evolução acelerada dos Beatles no estúdio – , com as 14 faixas do disco original remixadas por Giles Martin e o engenheiro de som Sam Okell em estéreo e Dolby Atmos, mais um tesouro de material inédito, como demos, versões alternativas ou incompletas de músicas como “And Your Bird Can Sing”, “Yellow Submarine” (que nasceu bem mais sombria do que a gravação final, cantada por Ringo Starr), “Doctor Robert”, “Eleanor Rigby”, “Tomorrow Never Knows” e “I’m Only Sleeping”. 

Além disso, o pacote super deluxe inclui a versão mono do álbum original, um single remixado de “Rain” e “Paperback Writer”  e um livro de 100 páginas documentando a feitura do disco. Ao todo, serão 63 faixas nesta configuração mais cara. 

A reedição da Revolver dá prosseguimento à série de versões mais aprofundadas da discografia dos Beatles, como ocorreu com Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (2017), The BEATLES (‘Álbum Branco’) (2018), Abbey Road (2019) e Let It Be (2021).

Desde já foi disponibilizada a nova mixagem de “Taxman”(abaixo).