Show mega-estrelado celebra Peter Green, co-fundador do Fleetwood Mac

Mick Fleetwood 

O baterista Mick Fleetwood organizou um concerto mega-estrelado no London Palladium, na terça-feira, 25/2, para homenagear Peter Green, co-fundador do Fleetwood Mac quando o grupo dedicava-se exclusivamente ao blues.

Líder original do Mac, substituto de Eric Clapton na legendária Bluesbreakers, de John Mayall, embora fosse uma superestrela de seu instrumento, Peter decidiu batizar o grupo com os sobrenomes dos músicos que integravam a seção rítmica: Fleetwood (do baterista Mick) e Mac (de John McVie, o baixista), ambos afanados da banda de Mayall, e, sofrendo de esquizofrenia (quadro piorado pelo uso de LSD e mescalina), demitiu-se em 1970.

A escalação do show-tributo incluiu o ex-Rolling Stone Bill Wyman, Pete Townshend, David Gilmour, Kirk Hammett (do Metallica), Noel Gallagher, Steven Tyler, Billy Gibbons (do ZZ Top), Jeremy Spencer (guitarrista da formação original do Mac), Christine McVie e Neil Finn, ambos da mais recente formação do grupo.

Toda a renda reverteu para o Teenage Cancer Trust, instituição criada em 1990 para auxiliar jovens com idades entre 13 e 24 anos que estejam se tratando de alguma forma de câncer com a instalação de unidades dedicadas a esses pacientes nos hospitais da rede pública nacional.

Na noite que marcava também o aniversário de George Harrison, Mick recordou a ocasião em que ouviu o então ainda Beatle dizer no rádio que uma da faixas do recém-lançado Abbey Road, “Sun King“, era “nosso momento ‘Albatross'”, uma admissão do enorme parentesco entre as duas músicas. Foi a deixa para David Gilmour assumir a pedal steel guitar numa versão

Mick Fleetwood fala sobre “Albatross” antes de David Gilmour subir ao palco para tocá-la.

A longa festa – foram 23 músicas tocadas, ao todo – terminou com uma versão todo-mundo-junto-no-palco de “Shake Your Money Maker”, o clássico de Elmore James gravado pelo Mac em seu álbum de estreia, em 1968.