Tarantino processado por planos de NTF’s baseados em ‘Pulp Fiction’

A produtora Miramax está processando Quentin Tarantino por causa dos planos do diretor de comercializar sete NFTs (tokens não fungíveis) baseados em seu clássico de 1994, Pulp Fiction, estrelado por John Travolta e Samuel L. Jackson, que rendeu a Palme d’Or em Cannes e um Oscar de Melhor Roteiro.

Os produtos propostos por Tarantino incluiriam de trechos do roteiro original – “cenas exclusivas” escritas à mão – a comentários de Quentin a respeito do filme.

A Miramax argumenta, em seu processo, que teria adquirido de Quentin “praticamente todos os direitos” de Pulp Fiction, o que o impediria de tomar qualquer iniciativa em relação ao filme e seus personagens sem consulta prévia à produtora.  E mais: adianta que ela própria tem seus próprios planos para NFTs baseados no mesmo filme, e as ações de Tarantino a estariam impedindo, portanto, de fazê-lo.

Por sua vez, os advogados de Quentin contra-atacam dizendo que ele, como autor do roteiro, tem o direito de publicá-lo e que ao transformá-lo em NTFs estariam agindo plenamente dentro do seu direito. 

A ver.