Um ‘deepfake’ de De Niro mais realista que o ‘original’

Está complicado acompanhar o ritmo vertiginoso da evolução de novas tecnologias, mesmo para quem tem acesso a ferramentas topo de linha. 

E a situação torna-se ainda mais complexa quando amadores (ou quase) mostram ser capazes de obter resultados iguais ou melhores que os profissionais de quem se esperaria algo state-of-the-art, mas utilizando recursos bem mais econômicos.

É o que está acontecendo com as sequências disponibilizadas recentemente por Shamook, especializado em deepfakes (a perturbadora combinação de elementos para compor um vídeo realista, embora impossível e, portanto, simulações que parecem ser verdadeiras, embora sejam 100% falsas).

Ele pegou as cenas de O Irlandês, filme épico de Martin Scorsese onde os protagonistas foram rejuvenescidos digitalmente para mostrar sua trajetória ao longo de décadas, e mostrou ser capaz de obter um resultado muito melhor e por muito menos do que aquele atingido por Scorsese e um orçamento de 160 milhões de dólares. 

E agora?