Vem aí bio e almanaque de Mal Evans, o anjo da guarda dos Beatles

Ainda no vibe Get Back, uma presença incontornável e bastante ativa no documentário de Peter Jackson é a de Mal Evans, o doce e enorme road manager dos Beatles.

Misto de faz-tudo, parça de primeira hora e anjo da guarda, Mal não para de trabalhar um segundo que seja, anotando correções nas letras de música que John e Paul vão aprimorando no decorrer dos ensaios, trazendo comida e bebida para os músicos, providenciando – e tocando –   uma bigorna e um martelo durante a rascunhagem de “Maxwell’s Silver Hammer”, e toureando os policiais que insistiam em fazer os Beatles interromperam a apresentação no terraço da Apple. 

Imagine o quanto de histórias de bastidores Mal acumulou desde que começou a trabalhar com a banda, em 1963.

Pois pare de imaginar e espere só um pouco – até 2023, mais precisamente –, que é quando a editora HarperCollins lançará a biografia de Evans, escrita por Kenneth Womack, autor de vários livros sobre os Beatles. 

E depois vem ainda mais: em 2024 sai uma espécie de almanaque, com o material arquivado por Mal ao longo dos anos: diários, recortes e manuscritos.

Evans trabalhou para os Beatles até mesmo depois do fim da banda, e só se desligou dos quatro quando morreu, em 1976, aos 40 anos, num incidente bizarro em Los Angeles, onde acabou fuzilado por policiais que haviam sido chamados por amigos do próprio Mal para tentar acalmá-lo, depois que Evans começou a brandir uma espingarda de chumbinho.